15 junho 2006

taxa sobre hipocrisia

acho que deveríamos criar um novo imposto. algo como Taxa sobre Hipocrisia. tiraria o país do buraco. este ano, uau, nossas divisas subiriam muito.

o candidato a vice do Alckmin, o insípido José Jorge, do pefelê pernambucano, disse hoje que “temos um presidente que não trabalha, só viaja muito e bebe muito”. é o tipo da crítica idiota, malcriada e desesperada — ao estilo do emburrado Ronaldo, que depois mostrou toooooooda aquela agilidade em campo contra a Croácia. além disso, é o tipo da crítica hipócrita, pois o que seria “beber muito”, em um país como o Brasil, grande exportador de cachaça, famoso pela caipirinha, produtor de bons vinhos e cuja publicidade gira pesadamente em torno das cervejas? e, pra terminar, José Jorge é abstêmio? se de fato é, isso o torna melhor vice-presidente? não creio.

a Taxa sobre Hipocrisia teria outro bom efeito colateral. ao longo do tempo, diminuiria o falso moralismo dos que gostam de criticar nos outros o prazer que não admitem sentir, ou dos que ousam apontar nos outros falhas que eles mesmos possuem e não enxergam. ia ter muita língua mordida antes de falar da amiga que traiu, do colega que trapaceou e do namorado que mentiu. está decidido. amanhã mesmo vou ao Congresso vazio propor este impostinho.

quanto ao José Jorge, é por essas e outras que o Lula ganharia hoje no primeiro turno. convenhamos, com este nível de concorrente, chega a ser covardia. piu.

2 comentários:

Graziana disse...

Desde que o Larry Rohter escreveu sobre os hábitos etílicos do presidente é isso.
Lamentável um vice, em campanha, se utilizar disto para "parecer melhor presidenciável" que o Lula.

Sean Hagen disse...

*


o circo político vai além do que meus nervos - não de aço, como os do lupcínio rodrigues - agüentam.

é dose ter uma bancada governista que não consegue barrar essas investidas pueris, ao mesmo tempo que desastrosas e irritantes.

é dose ter uma mídia que, nesses momentos, prefere o sensacional ao informativo, deixando de questionar que suposto "vício etílico" é esse, e onde ele supostamente afundou o país.

daí o cara comenta a notícia na mesa do bar, 18 cervejas já vazias, mas bêbado é o presidente.

políticos são especialistas em trabalhar com clichês e imagens que tocam as pessoas. principalmente os pilantras. e o Lula, convenhamos, é um prato cheíssimo.



*