14 março 2007

o fundo do poço

no início dos anos 90, eu morava em São Paulo. trabalhava na Folha de São Paulo até o início da madrugada. chegava em casa cansada, tomava banho e... cadê o sono? ligava a TV. não tinha essa de TV a cabo, of course. eu era uma jornalista que pagava suas próprias contas e ainda bancava um mestrado em universidade privada. dinheiro? tudo o que sobrava ia para os livros, o sagrado cineminha e passagens bissextas de avião para ver a família no Rio Grande do Sul. nada de TV de rico.

na TV aberta, o que eu via de madrugada até o sono chegar? os programas da Igreja Universal do Reino de Deus. lembro de coisas hilárias. um dia era uma espécie de mesa-redonda. no “debate”, uma psicóloga, um empresário e um advogado. todos evangélicos, todos narrando o poder da IURD. de repente o bigodudo esquálido lascou: “como advogado, eu atesto: Deus realmente mora na Igreja Universal do Reino de Deus”. ups. e ele pelo menos ajuda no condomínio? bom, sei lá, o cara é advogado, e os advogados sabem das coisas. em dias como este, o sono ia embora e eu ficava de olho vidrado admirando aquele mundo inventado.

mas o que mais me chamava a atenção eram os depoimentos recorrentes de como a vida havia se transformado depois que o vivente se convertera. havia um passado de dor e tragédia, o famoso “fundo do poço” e depois um presente de redenção, sucesso e felicidade. nenhuma mazela era desprezível, e todas elas tinham uma única origem: a ação do Diabo sobre a vida do descrente. a Igreja Universal, todos sabem, recupera doentes de Aids, maridos violentos, mulheres infiéis, casamentos desfeitos, ruínas financeiras, alcoolistas e, claro, homossexuais.

como ciência a gente faz quando fica intrigado com o que se repete, acabei transformando esta curiosidade no meu projeto de doutorado, e a tese que defendi na PUC de São Paulo, em 2000, foi sobre os testemunhos de fé exibidos em um programa da TV Record – o impagável “Fala, que eu te escuto”. analisei a estrutura narrativa destes depoimentos, centrada nas figuras de Deus e do Diabo. foi incrivelmente interessante resgatar o mito do Diabo em diversas culturas e religiões. o que descobri ao estudar o bem e o mal foi o grande poder moralista das religiões, que buscam regrar o que é apenas humano.

durante os anos em que pesquisei a IURD, li muito sobre o bispo Edir Macedo. não posso deixar de admirar a inteligência de um homem que transformou o medo alheio em uma fábrica de fazer dinheiro. as histórias são incríveis e são verdadeiras, as pessoas realmente fazem doações gigantescas à igreja, em uma estratégia de marketing (com o perdão do trocadilho) divina: se você quer algo de Deus, então deve desafiá-lo. para valer o que pede, dê aquilo que tem de mais valor, pois assim Deus fará valer a recompensa.

a Igreja Universal tem uma das maiores holdings de que se tem notícia no Brasil. só não é mais conhecida, porque os bens da Igreja estão dispersos em dezenas de proprietários e vão mudando de mãos sempre que necessário. além disso, é uma multinacional, exportando templos para dezenas de países. se você estiver de férias por aí, não se espante se o gringo disser: “ôu... brrrasileirrrro... yeah, yeah... Pelé, Ronaldinho, Edir Macedo”.

a IURD tem o jornal de maior tiragem do país, a “Folha Universal”. tem editora, gravadora, emissoras de TV e de rádio espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. com a Rede Record, entrou no mundo profano do entretenimento e do jornalismo. é dona de um jornal de referência em Minas Gerais. neste ano, a Rede Record comprou a TV Guaíba e as rádios Guaíba AM e FM.

até aí eu estava acompanhando, um tanto estarrecida, a entrada do bispinho na seara dos gaúchos. mas agora o cara se possuiu e comprou o Correio do Povo. temo que a primeira baixa seja o texto saboroso do ironista Juremir Machado da Silva. tá, eu sei. meus sentidos ainda estão anestesiados com a confirmação desta notícia. mas o fato é que não consigo vislumbrar neste momento como o Juremir poderia escrever para um jornal do bispinho.

sabe o que é mais estarrecedor? é saber que talvez você esteja comendo, bebendo ou vestindo algo produzido pela Universal, sem ter a menor noção disso. já não bastavam as camisas do Dunga, o aquecimento global e a falta de água no planeta, ainda podemos ficar sem a coluna do Juremir? pra mim, isso é coisa do Demo. é o fundo do poço. piu piu.

19 comentários:

Leonardo disse...

ao mesmo tempo em que é estarrecedor, é perfeitamente cabível, dentro da norma que sempre acompanhou a história da humaninade onde a ignorância sempre foi a moeda mais forte. :(

vai se acostumando neném, é o fim do fim.

raquel disse...

Pensei o mesmo. E fiquei chocada. :P

La Carmencita disse...

E os telejornais da Globo insistem em dizer "récorde", só para não falar o nome da concorrente divina.

Maroto disse...

e eu que queria viver cercada de Übermensch...

Ana disse...

Aqui em Pelotas estão comprando todos os cinemas, teatros, prédios históricos... Assustador!

Fernanda disse...

Depois disso pergunto: quem será A Próxima Vítima?
Façam suas apostas...

Carlos Eduardo Carrion disse...

Mas o fanatismo religioso não deixa de ter os seus momentos hilários. Um amigo meu me contou que por estes dias um bispo fez o maior escândalo na emissora por estarem vinculando notícias católicas. Algo sobre papanicolau.
Este mesmo bispo já havia interferido em outro programa por esta falande de bruxismo infantil.
Seriam umas graças se não acabassem, lá pelas tantas, colocarem pessoas na fogueira ou na roda.

Carlos Eduardo Carrion disse...

Retificação
Onde coloquei colocarem, coloquem, colocando.

Rosamaria disse...

a fé remove montanhas, pinta, mas esse fanatismo me deixa encucada.

os pais da minha secretária são dessa igreja e, como o Leonardo, dizem que é o fim do fim. acho que o fim é o bispo tomando conta do mundo...ele tá quase lá...

e o pior é que as pessoas acreditam naquele marketing divino, deixam de comer pra pagar dar pra igreja.

até lembrei do Chico Anízio: "pode passar a sacolinha"

Graziana disse...

não sabia do Correio do Povo ainda... eles estão tomando conta do mercado de comunicação, estes dias peguei uma Folha Universal pra ler...tinha uma matéria cedida da carta capital...

será que pra ser jornalista agora, os colegas terão de se converter?
é assutador o poder deste cara!

Maitê disse...

E o Xôn não acreditou em mim, Márcia. Eu sabia que aqueles filhos da mãe iam comprar ele. Que tristeza. Bah, hj vi o Juremir... Coincidência... A Coluna dele é a melhor!
Marcia, era legal trabalhar na Folha?

Abs

Mariana Mesquita disse...

Meu Deus.

Nino disse...

Ah, mas eles ainda não têm um país como a I. Católica e falta muito para se equipararem em picaretagem a algumas congregações como o Opus Dei e os maristas... Esses sim são espertos, fazem tudo por baixo dos panos!

Nino disse...

Ah, mas eles ainda não têm um país como a I. Católica e falta muito para se equipararem em picaretagem a algumas congregações como o Opus Dei e os maristas... Esses sim são espertos, fazem tudo por baixo dos panos!

Adriana Amaral (Lady A.) disse...

pensei nisso tb... vai ser chato ficar sem a coluna do juju.

Jousi disse...

ai, é verdade. :(

renatolarsen disse...

É, daqui a pouco, em breve, podemos ter surpresas no campo político! Não se assustem! Só que isso precisa começar a ser freado o quanto antes... e não deixar a elite interesseira e brega brasileira tomar a dianteira!

Já pensaram Edir Macedo presidente da República? É isso que eles estão preparando, maninhos!

OLHO NELES!!!!!!

Vivien disse...

Fiquei curiosa pra ler seu trabalho.

>> [eRRuD!To] ... disse...

Será assim?

FULANO: E agora nós vamos com as notícias do Esporte. Direto do Beira-Rio, irmão Beltrano!
BELTRANO: Alô irmão Fulano. Boa tarde a todos os irmãos. O treino de hoje foi abençoado...