18 maio 2007

meu xuxu roxo



diz a sabedoria popular que, se deus não te dá filhos, o diabo te dá sobrinhos. a sabedoria popular não sabe nada. sobrinhos são a melhor coisa do mundo, e Rafaela, Aninha, Julia e Henrique são minha inspiração permanente, meus amores para sempre.
a Aninha é uma parte vital de tudo que eu acredito. ela poderia ser descrita como filha do Nando e da Ana, irmã do Henrique, neta do Ruben e da Emiliana. poderia, mas na verdade não pode. nada disso é minimamente suficiente.

aos dois anos, aquele bichinho de cabelos encaracolados e olhos grandes pegava as caixas e as cadeiras mais pesadas que encontrava pela frente, apenas para mostrar que era forte, e arrastava tudo, gemendo em agonia: “pi-sado, pi-sado”. se você por acaso se atrevesse a mover um dedinho para ajudar, recebia um olhar de morte com o qual poderia ser petrificado para todo o sempre. você não tinha entendido que era pesado, sim, estava sendo difícil, sim, mas era assim que ela gostava?

desde muito cedo Ana Luisa, a Nina, botava a língua só por botar e dar risadinhas. adorava provocar. ação e reação, sempre testando comportamentos, limites, se as regras faziam sentido, se as regras estavam valendo para todos. eu disse para todos, pois ela não seria obrigada a cumprir uma regra apenas porque alguém disse que era para cumprir – fosse pai, professor ou o papa. aliás, quem é o papa para dizer o que ela deve fazer? este ser desde sempre contesta tudo e todos, até ser convencida de que o argumento não é mera falácia, e eu sempre me diverti muito assistindo a seus embates verbais com as pobres autoridades que tentam lhe domar o espírito rebelde.

admiro na Aninha sua imensa generosidade. ela divide tudo o que sabe. ela nunca pensa que pode estar perdendo qualquer coisa quando doa suas horas ao ajudar um colega a se preparar para as provas, ou ao ouvir alguém, ou ao liderar um grupo em uma atividade qualquer. ela não tem medo de se arriscar, pois sabe que não deve reter o que está nela. sabe que compartilhar é o princípio das almas verdadeiramente inteligentes. sabe que aprende quando divide e quando está com o outro. sabe que o mundo é maior do que ela.

conversar com ela é sempre um imenso prazer. qualquer adulto encontra ali um lugar receptivo para falar sobre o mundo, as pessoas, a política, o jogo de futebol, a moda, a arte ou o que você quiser. ela sempre adorou estar entre os adultos e nunca se furtou a dar opinião. não foram poucas as vezes, diga-se, que vi sua opinião ser mais madura do que muitas outras. não foram poucas as vezes que ela obrigou os apressadinhos a pararem para pensar nas bobagens que estavam dizendo.

se você perguntar à Aninha o que ela vai ser “quando crescer”, vai ouvir uma resposta nada modesta: “vou ser presidente do Brasil”. pois é. se ela vai ser presidente do Brasil, eu não sei. o que eu sei é que hoje a minha crespinha está fazendo 15 anos. neste tempo todo, meu amor por ela só fez crescer – não por traços da genética, mas pela capacidade, totalmente abstrata e difícil de nomear, de me reconhecer tão intensamente nela.

15 comentários:

Leonardo disse...

que lindinho! :)

Penkala disse...

isso me fez lembrar do meu afilhado Bruno, que eu vi crescer desde os 3 meses de gestação. na verdade, de antes, mas nem eu e nem a mãe dele sabíamos dele. quando ele tinha 2 anos eu plantei a sementinha da cinefilia nele. hoje, à distância, ele me mostra orgulhoso os filmes que ele já tem na devedoteca. 7 anos o peste. da última vez assistiu AS BICICLETAS DE BELLEVILLE comigo. no fim, perguntei: e aí, bruno? "muito bom". esse é meu guri!

Rosamaria disse...

pinta, tu e o Sean só fazem emocionar agente!

parabéns pra Aninha, que ela realize seus sonhos, inclusive de ser presidente do Brasil.

bjim.

Rosamaria disse...

pras duas!

Sean Hagen disse...

*



nessa presidenta eu votava de olho fechado.
porque o encanto é maior do que simpatia, inteligência e essas outras qualidades que vc narrou aqui.
é algo que foge ao usual.

o difícil é saber quem será o primeiro damo.
o baconzito tá na área ainda?




*

Ana Luisa disse...

tiaa....

muito obrigada!!!
não sei nem o que dizer, mas tu sabe que eu te amo né?!?!?!?!
eu também adoro conversar com você, e a nossas conversas são sempre muito produtivas...
hehehehehe

muito obrigada mesmo...
do teu xuxu roxo

bjuuuuuu
xD

Adriana disse...

Parabéns a sobrinha linda e a tia coruja...que tenha muito tempo para curtir a sua Princesa...
Beijinhos carinhosos cheios de energia positiva do outro lado do oceano

maristela bairros disse...

Pinta. Morro de inveja de quem tem sobrinhos assim, de sangue, como se diz lá em casa. Eu tenho uma, que vi muito pouco, na verdade sobrinha do meu ex. Coisas da vida.Mas queria te dizer que estás convidada pro meme do que livro estou lendo.
beijos da sem-sobrinha invejosa

Graziana disse...

eu ainda não tenho sobrinhos(de sangue), mas sou cheia de primos...
no teu lindo texto vi um pouco da minha prima que também está fazendo 15, só que em julho...olho pra ela e lembro da garotinha gordinha e desastrada que era, mas pisco e vejo o quanto ela cresceu e tem personalidade...

Bartira disse...

Eu ainda não tenho sobrinhos... mas sou sobrinha de alguém.
Meus tios-pais sempre foram super especiais e muuuuuuito corujas.
Tio Arnaldo (ou tio Pico, como eu o chamava quando criança) adorava tirar fotos minhas. Esses dias fui mexer nas fotos antigas e revi toda a minha infância. No banho, na chuva, dormindo, comendo, brincando, no colo dele, no colo dela, no colo da mamãe...
Tia Clélia ficava comigo no colo o dia todo. Quando tive rubéola e ela ficou grávida ia me ver no portão de casa. Minha mãe me segurava do lado de dentro e ela me olhava e chorava do lado de fora...
sobrinhos são legais... Mas tios são o máximo!

>> [eRRuD!To] ... disse...

bigadu!

Clélia Riquino disse...

Ah, Bá... me fez chorar... Assim, molho as penas da Pinta!

Thelma disse...

Que privilégio ter estes anjos em nossas vidas! Liiiindo!

Maria Helena disse...

Falar sobre os familiares, com tanto amor e carinho,e de uma forma tão intensa, emociona e nos dá a certeza que os laços de sangue, graças a Deus, é muito presente ainda nas pessoas.

Ana disse...

Ah, Pinta! Assim não vale!
Tanto amor dá vontade de chorar!!