30 abril 2008

quanta inteligência

a melhor declaração de hoje está na Folha de São Paulo (neste link, para assinantes) e é dada pelo coordenador do curso de Medicina da Universidade Federal da Bahia. os alunos da UFBA ficaram com conceito 2 no Enade. Antônio Dantas, o tal coordenador, foi rápido em achar a resposta.

para Dantas, o mau desempenho é devido “ao baixo QI dos baianos”. o coordenador afirmou ainda que a baixa inteligência é hereditária e pode ser atestada por quem convive com os baianos. e, para fechar sua brilhante análise, disse que “o baiano toca berimbau porque só tem uma corda. Se tivesse mais [cordas], não conseguiria”.

ficam algumas dúvidas. considerando que o sábio coordenador é baiano, será que ele está falando de si mesmo? o que será que o coordenadorzinho vai ouvir na próxima reunião de Departamento? e que presente ele vai ganhar de seus alunos? ah, eu tenho algumas sugestões sobre o uso do berimbau.

7 comentários:

Maroto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maroto disse...

a Urubua suicida apagou o comentário anterior e marcou sessão extra na psicanálise

Rosamaria disse...

esse cara tá roubado!

Marcia disse...

Maroto,
exercendo seu direito de matar os outros de curiosidade...

Rosa,
o reitor disse que as declarações são "ridículas". e o Ministério Público já pediu providencias.

Arnaldo disse...

Que pérola, hein?

venuss disse...

mostraram a fuça do cara no jornal da globo. Ele até tentou se explicar, mas a corda deu mais uma volta no pescoço.

Leonardo disse...

é neném, vou dar pitaco onde não sou chamado.

independente do camarada ser baiano ou não, talvez ele esteja se referindo **a sua percepção** do estereótipo dos baianos de formal geral e abrangente considerando a própria vivência. Só porque ele é baiano, não quer dizer que se sinta e se comporte como um típico baiano da cabeça dele. Da mesma forma que eu não consigo mais me sentir (ou me adequar, sei lá) brasileiro.

Considerando minha atual experiência aqui em Hellcife eu consigo entender a raiva do sujeito por trás de tais desabafos, eu mesmo já escrevi um post que você leu e comentou sobre a burrice regional. O que não rola é o cara, enquanto profissional emitir esta opinião idiota. Se no nível pessoal ele criou este perfil dos baianos (mesmo sendo ele um deles), que na verdade seria um preconceito brando (já que teria sido baseado em experiência e não em "achismo"), tudo bem, ele está no direito dele. Mas profissionalmente... na na na na ninha... :(

beijo,