17 maio 2008

mi-mi-mi

existe alguém mais patético que Sérgio Mallandro? seu espírito histriônico, seus mi-mi-mi, seu eterno boné anti-envelhecimento e seu ar de galã cafajeste decadente são insuportáveis.

agora leio que João Gordo entrevistou esta figura ridícula. e que, na entrevista, Mallandro disse que João Kléber lucrou muito em cima de suas criações – como, por exemplo, o fajuto “Teste de Fidelidade”.

é engraçado, porque Sérgio Mallandro e João Kléber estão sempre associados na minha mente. se um é citado, logo eu penso no outro. para mim, são praticamente gêmeos. a diferença é que Mallandro sempre se portou de forma bufa, e João Kleber fica tentando dar um verniz para o que é absolutamente rasteiro. o fato é que eles sintetizam o que de pior a televisão brasileira já produziu, pela irrelevância, pela forma de tratar as pessoas, pelas armações que subestimam a inteligência do público.

uma vez eu estava em um hotel, esperando meu acompanhante para jantar. fiquei alguns minutos assistindo ao tal “Teste de Fidelidade”. no começo achei engraçado, pois tudo que é excessivamente estúpido me faz rir. depois aquele troço foi me dando o que chamo de náusea filosófica – uma enorme vergonha da pertencer à espécie humana – e muita fúria por ver uma TV, que é concessão pública, dar espaço nobre para algo tão grotesco.

outro dia, zapeando, peguei um trecho do programa do João Gordo. ele estava entrevistando Eliana, aquela que as crianças de outrora chamavam de “Eliana Dedinhos”. adivinhem o que ele estava dizendo para a ex do Roberto Justus. sim, adivinharam. ele estava fazendo uma piada de péssimo gosto sobre onde ela, agora, colocava seus dedinhos.

isso tudo me faz pensar onde anda o projeto original da MTV. e como uma emissora que poderia ser realmente alternativa acabou caindo neste abismo cultural. João Gordo dando espaço para o patético Sérgio Mallandro, Penélope Nova se fazendo de gatchinha e dando conselhos hediondos sobre sexualidade. é o fim da várzea. mi-mi-mi.

5 comentários:

Carlos Eduardo Carrion disse...

Queridésima, eles só existem por que quem vê TV aberta quer isto. Algo alienante, escapista, paranóide (os problemas e o ridículo estão sempre nos outros). E, no momento, a TV é o canal.
Não se indigne tanto, nem todo mundo consegue ser uma Márcia ou um Carlos Eduardo (Da série modéstia pouca é bobagem.).

Rosamaria disse...

Quem é João Kléber?
Bjim.

Maroto disse...

não vejo em que o Didi é melhor que o Sérgio Mallandro. Sério.

Arnaldo disse...

Náusea filosófica é ótimo! Na verdade, não sinto esta náusea apenas com Sérgio Mallandro ou João Kleber. Sinto com quase tudo que passa na TV. Fantástico, Faustão, Novelas, quase tudo. Não sobra, praticamente nada.

Lu disse...

Marcia, incrível como tu descreves o que sinto por esta porcaria destes programas da MTV. Não aturo este João Gordo, se bem que agora ele tá mais aceitável, menos escrachado, menos nojento, sei lá. O Sérgio Malandro, nem me fale, tenho asco deste cara, aliás tem muitos apresentadores/artistas/atores/modelos/faztudo que não dá nem pra olhar. O Faustão é um que não consigo nem mais ouvir a voz dele.
E a gente olha o quê? estamos com poucas opções.
Vamos ler então né? nem que seja o jornal de ontem....hehehehe