30 abril 2006

sou, mas não sou

não se pode proibir que os jogadores da seleção façam sexo durante a Copa “em pleno século 21”, diz Parreira em entrevista à IstoÉ. ufa. os torcedores agradecem. mas este mesmo século 21 parece medieval quando o assunto é homossexualismo. o técnico da seleção disse que tudo bem, parari pororó, ele até não cortaria um atleta se descobrisse que o cara era gay, mas na verdade achava que este cara “nem seria convocado”. hã? cuma?

tipo: sou preconceituoso, mas não sou. Parreira diz que não tem nada contra o homossexualismo, mas não aprova o casamento gay. bom, se não aprova então é contra. só pra complicar, quero deixar claro que eu defendo o direito dele de ser contra. e defendo o direito de ser contraditório, também. acho que ele expressou bem a contradição que a maioria das pessoas vive, em relação a todos os tipos de preconceitos — sexuais, étnicos, religiosos.

o que continua bem bestinha é essa idéia implícita de que futebol é coisa pra macho, inclusive quando jogado por meninas. piu.

14 comentários:

Sean Hagen disse...

*

e parari pororó pode?


*

marcia disse...

pode, xuxu. :P

Sean Hagen disse...

*

então explica porque esse aí não tá no livro.


*

marcia disse...

é linguagem não-verbal.

Sean Hagen disse...

*

tipo braile?


*

marcia disse...

digital e gustativa.

Sean Hagen disse...

*

pq vc nao tem foto nos posts?


*

marcia disse...

porque é muita pintinhagem.

Sean Hagen disse...

*

?


*

marcia disse...

tá bom, vou liberar a pintinha.
mas ela tá ficando muito saidinha. :P

Sean Hagen disse...

*

ê ô,ê ô a pintinha liberô!


*

marcia disse...

vamos ver se funciona...

Sean Hagen disse...

*


wow!
e fez-se cor.


*

marcia disse...

esta pintinha devia ser patenteada.