31 julho 2006

tem um dia

não tem um dia, assim, em que você pensa que teria sido melhor ficar lendo na cama — desde que sua cama ficasse sob o sol, claro, já que o dia foi frio de maravilhar?

um dia confuso em que você depende de um sistema para articular dezenas de pessoas e, bem, o sistema fica preguiçoso, sonolento, emburrado e decide sumir com suas coisas? um dia constrangedor em que uma frase escapulida revela como uma pessoa entra pela porta dos fundos, e a pessoa olha pra você e pensa “putz, falei”, e você se sente tão encabulado que se faz de idiota? um dia triste em que você finalmente obtém aquela confirmação que vinha deliberadamente adiando de que, sim, uma pessoa que você julgava ética não é tão ética assim? um dia de silêncios que podem ser tudo e podem ser coisa alguma, mas sempre são? um dia de pontuações, assim, que ficam em suspenso? um dia em que você foge de seus impulsos de apenas ir para outro lugar e no final da noite percebe que teria sido a única coisa decente a fazer? tem um dia assim, né? é, tem.

5 comentários:

Sean Hagen disse...

*


xiiiiiii...
eu avisei pra alçar vôo.



*

Graziana disse...

sim tem, vários dias assim...
;)

raquel disse...

Ultimamente, to tendo vários dias assim. :P

Leonardo disse...

Bem, 01 de agosto. Seu post foi de ontem, neste caso, que bom que dias como estes e todos os demais também passam, não é? :)

Anônimo disse...

What a great site »