04 setembro 2006

vai ficando cheia

a lua vai ficando cheia. de que, afinal, a lua se enche? de luz, sombra, transigência? de uma espécie de ar branco que vai lhe tirando a transparência e brindando o céu com uma soberba imensa? de que a lua se enche, quando infla sobre as montanhas e os edifícios? de que matéria ela se recobre para lembrar nossas mentes ignorantes que a vida se vive em fases, e que tudo de bom e de ruim tem um fim provisório? de que, eu sempre me pergunto, a lua se enche?

e com o que a lua nos enche, quando sobe redonda e perfeita? nos enche de mistério e fascinação? nos enche de medo e delírio? quando ela vai assim, lentamente cheiando, que movimentos esta enorme e solitária lua faz vibrar em nossas almas estranhas, almas doentes por compreensão? com o que nos conectamos, ao olharmos sua lindeza e percebermos nosso tosco tamanho?

que buracos, estradas e depressões são aquelas, que surgem aos nossos olhos sempre tão míopes? o que lemos em superfície tão acidentada, e que acidentes interiores são remexidos quando a lua fica cheia? por que temos tanto desejo de serenar sozinhos, observando seu avançar lento, e ao mesmo tempo dizer tudo, acompanhados, quando ela se manifesta? que paradoxos ela inscreve em nossos corações, de tal modo presentes que não podemos ignorá-los?

do que, eu preciso saber, é feita a lua que cresce antes de definhar, carregando sem preconceito o que temos de sábio e pérfido, ritmado e nu, óbvio e silente? que seres somos nós, diante da lua que insistimos em contemplar, para além de nossa fome espiritual quase sempre indescritível? que seres somos nós, sob a lua que se enche?

3 comentários:

Graziana disse...

que belo texto!
um dos "pios poemosos" mais bonitos que li por aqui!
;)
Porque será que a Lua atrai tanta atenção!?
Queria saber também com o que ela se enche e dizer que é muito bom que ela nos mostre que nossa vida é feita de fases...
que seres somos nós???

Graziana disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ana disse...

Lembro que era uma tarde de verão, muito quente e eu brincava na fazenda onde morava. Olhei para o céu e a lua tava lá, em plena luz do dia! Fiquei surpresa, deslumbrada, encantada! Achava que a lua só aparecia de noite...

Ela reflete o sol, espelha nossos sonhos, alguns ocultos como sua face mais misteriosa, tem magia e tem mistérios, tem fases como as mulheres e, de repente, se revela cheia e ainda desafia o dia!

Somos seres que se deslumbram... Com a lua e com a beleza das palavras, como estas, que escreveste aqui...

Lindo demais, Marcia!