09 janeiro 2007

a China é aqui?

o vídeo de Daniela Cicarelli com o namorado em Cádiz já deu o que tinha que dar (com o perdão do trocadilho). acho o assunto tão menor, que nem me dei ao trabalho de comentar aqui quando tudo aconteceu. mas agora deixou de ser apenas um assunto de mesa de bar, com seu lado um tanto folclórico, e passou a ser de fato tema público. cumprindo ordem judicial, a Brasil Telecom já bloqueou o acesso ao YouTube, e Telefônica e Embratel devem fazer o mesmo.

é bom recolocar as coisas nos seus lugares. não estamos falando de uma mocinha ingênua, e sim de uma celebridade – do baixo clero, mas ainda assim uma celebridade. ela sabe que é famosa, especialmente na Espanha. sabe que pode ser reconhecida, fotografada e filmada. acima de tudo, sabe que sua imagem vende. li em vários lugares que ela foi vítima da mídia, dos invejosos, dos conservadores e dos moralistas. li um artigo de um psicanalista que geralmente admiro, Contardo Calligaris, defendendo sua postura como uma livre e pura expressão de amor. sem contar os textos dizendo que ela estava sendo atacada pelos machistas que não suportariam o livre exercício da sexualidade de uma mulher.

balela. besteira. bullshit. quem não consegue distinguir o mundo privado e o mundo público não está falando sério. não importa, para ninguém, o que você faz em sua vida privada. se gosta de chicotes, morangos ou uvinhas, problema seu. não cabe interpor a suas taras, desejos e fetiches uma questão moral. defenderei sempre o direito de cada um se expressar como quiser, porque sexo só precisa de uma palavra: consentimento. ponto.

porém, em um lugar público os seus direitos são relativos. os seus, os meus e os da Cicarelli. se ainda assim você for em frente, esteja disposto a pagar o preço. e o preço pode ser alto, se lembrarmos que vivemos em uma era de comunicação participativa, em que qualquer um com acesso à internet pode compartilhar o que pensa e o que viu.

o YouTube é o mais famoso site de compartilhamento de vídeos. de uma forma totalmente nova, é democrático porque recebe qualquer coisa. o que Daniela Cicarelli fez, depois de ter um surto de tesão na praia? viveu e deixou viver, como parecia ser seu lema? não. ela acionou seus advogados. processou o Globo, o iG e o YouTube por danos morais. o sexo gostoso e implícito no mar virou uma pendenga judicial, envolvendo dinheiro e, obviamente, muita mídia. a mocinha que estava apenas exercendo a sexualidade feminina (ah, como tremulam as bandeiras do gênero) está deitando e rolando. é de novo manchete da BBC e de outros tantos veículos de referência. mais mídia, mais dinheiro.

mas até aí, sinceramente, para mim a discussão ainda era menor. quando uma ordem judicial acarreta o bloqueio a um site, porém, vira um tema que me interessa. vira tema público. o desembargador Ênio Zuliani diz que ordenou o bloqueio, aos internautas brasileiros, dos vídeos da Cicarelli e não do site. as operadoras, ao que parece, não encontraram um modo de cumprir esta decisão com precisão. então o seu direito, e o meu, de acessar o YouTube foi restringido.

eu nem costumo acessar o YouTube, mas isso não tem nenhuma importância. o que importa aqui é o conceito de liberdade, em um país democrático. estamos vivendo o primeiro caso concreto de uma sociedade que não está preparada para lidar com as ferramentas contemporâneas de comunicação, que não entende a natureza da internet e não tem legislação adequada para lidar com os danos à imagem neste meio. o que pode vir em seguida? a China?

18 comentários:

Adri Amaral disse...

o BR não tá mesmo preparado pra nada nessa área, isso é um absurdo!!! ainda bem q o virtua nao bloqueou ainda.

Anônimo disse...

A autora deste trecho, brilhante, agudo, merecia um editorial de primeira página no O GLOBO, na FOLHA DE SÃO PAULO, no ESTADÃO, e porque não, na ZERO HORA e no CORREIO DO POVO.
As vezes me irrito por certas pessoas não divulgarem mais o seu talento. Pensam que dá prá guardar e levar para o céu? E se ele não existir.
Carrion, o impacencioso.

Elis disse...

Olha Pinta, também fiquei pra morrer quando vi essa história no jornal de ontem. Fala sério, a moça dá o que tem no meio de uma praia - que de deserta não tinha nada - e ainda ganha uma ação judicial? Será que não eram eles dois que deveriam ser processados por atentado violento ao pudor? Ué, até onde eu sei, quem é pego dando uma dentro do carro, ou no matinho, ou em beco escuro, vai parar na delega e responde por isso. Agora, só porque é a Princesa do Chatily, consegue inverter tanto a ordem dos "tratores"? Valei-me Deus, onde é que nós vamos parar...

Sean Hagen disse...

*


o mais legal é que ela divulgou - ops - o vídeo há três dias o VMB, a maior premiação da música da MTV, em que ela seria a apresentadora. modelo ultrapassada, péssima apresentadora, sem talento aparente a não ser colocar silicone no corpo, vive das migalhas que a mídia oferece.

e sempre vai ter um juiz esperto, louco pra aparecer em alguma notinha da Caras, que vai deferir o pedido de "justiça e liberdade" da moçoila.

a mesma liberdade que ela se arroga de fornicar em praça pública, mas que pudicamente não quer que ninguém veja.

contrato renovado na MTV, possíveis contratos pra publicidade e posar nua, que mais uma barnga sem talento pode querer.

que venham as feministas, tô louco pra começar 2007 com uma boa briga.
:D



*

Graziana disse...

ela quer mídia e é o que ela está tendo..
hoje, todas as páginas que abri na internet tinham a mesma manchete - vídeo de cicarelli é proibido...

belo texto Marcia!

Rosamaria disse...

o anônimo e o Sean disseram tudo, pinta!

Adri Amaral disse...

ah, ja desbloquearam, mas vale o boicote
http://www.boicoteacicarelli.com/
Sean disse tudo!! é uma imbecil sem cérebro q só quer aparecer

vagem again disse...

ainda que eu me divirta com a idéia de punir os dois (pombinhos não dá. quem sabe... sirizinhos? sim! sim!) sirizinhos com um xadrezinho por atentado violento ao pudor, defendo até a morte o direito de quem quer que seja trepar com quem quer que seja onde quer que seja. o que não dá é uma celebridade (adorei o 'baixo clero', pinta!) pensar com a xereca e agir como uma princesinha injustiçada pra depois invocar direito de privacidade e exumar a censura por aqui. aposto uns dois orgasmos que a carreira da ossuda descerebrada acabou - pelo menos no brasil. que vá plantar azeitonas nas astúrias essa barraqueira equivocada.

rogerio christofoletti disse...

A moça tá certa. Não se pode mais se esfregar na praia, na frente de todo o mundo, em paz?!!!!
Ora essa!!!

Ana disse...

Disse tudo.

Maroto disse...

vagem, querida, não desperdice teus orgasmos com a Cica. Ela não merece.

e o anônimo pode ficar tranquilo que do lado de cá da tela a Pinta é superstar. Só não dá bandeira porque é modesta!

Maitê disse...

Eu fiquei sem you tube Márcia. Mas ainda bem que voltou. Pois estava pronta para arquitetar um plano maquiavélico contra a boca de gamela. heheh

Abraços

Aleksandra Pereira disse...

E a entrevista que a moçoila deu (ops) para a Globo ontem, falando que não, não foi ela, mas sim o namorado que entrou com a ação, afinal, se fosse dela o pedido, lógico que teria partes em indenizações (nada de querer "sua justiça" aqui, just money).

a única coisa envolvendo esse episódio absurdo que me fez rir foi a campanha contra a dengue que criaram no sul.

Beijo

Renato disse...

Ai, gente! Como vocês são maus! Só porque ela e o namor tem grana e podem pagar advogados! Como
vocês são sem coração, seus pobres!!!!!!

:P

Vini disse...

Bloquear o you tube é censura, é horrível, ponto.
Expor a moça publicamente é uma boa discussão pq envolve ética, direito e espaço público. Eu acho q se ela não autorizou, o video não devia estar vagando por aí...
Eu, por exemplo, não ia gostar de aparecer no you tube com o dedo no nariz numa estação de metrô - que é repleto de câmeras. Acho q, mesmo em público, as pessoas têm direito à privacidade, mesmo q façam "besteiras" (transar, colocar o dedo no nariz, etc)
perdoa o tamanho do comentário, pinta!

Norberto disse...

Independente do tesäo da Ciccarelli, o que este debate pöe em questäo é o tema da censura! No outro extremo da censura está o total descaso com a ética da palavra e, no caso de uma sociedade midiatizada, dos usos audiovisuais; midiaticamente vivemos um estado hobbesiano: tudo é possível ser dito e mostrado sem responsabilidade de ninguém! E aí, quando se fala em mecanismos sociais de controle destes e outros produtos midiáticos, logo se alardeia a censura (reflexos dos nossos dias de ditadura militar, muito embora seja clichê citar os mecanismos de censura dos outros, no caso os chineses!). O que caracteriza a censura é seu caracter arbitrário, descolado de um estado de direito; quando controles, filtros ou qualquer que seja o seu nome, säo operados a partir de instituiçöes eregidas sob um estado democrático, adquirem legitimidade - o que näo significa consenso, por isso a necessidade de mediaçäo das intituiçöes judiciárias! Setores da mídia brasileira hoje, vêm alardeando e rotulando o controle social social da informaçäo sempre como sendo pura censura (e aí é comum citar inclusive casos de regimes autoritários); neste caso, lançam qualquer um que fale de ética da palavra e da responsabilidade na produçäo audiovisual na vala comum do autoritarismo a moda chinesa ... silenciam o debate em torno do tema da necessidade de desenvolvermos mecanismos sociais legitimamente instituidos para esse fim de responsabilizaçäo social.
Norberto
nkjunior@uol.com.br

Rodolfo De Carli disse...

concordo em todos os pontos. o dia que eu aparecer na tv, vou botar o dedo no nariz, só pra poder processar a RBS pela indiscrição de me filmar "futucando" lá. quero ver a polêmica que vai dar. a resposta eu já sei: 0. redondo e vazio. eu serei tachado de retardado. só isso! ela acha que, por aparecer na MTv em um programa horrível e chato pode comprar tudo, inclusive a censura. aposto que, se ela desistisse dessa idiotice toda, em 3 meses, ninguém mais se lembraria do ocorrido. a Cicarelli não é nada mais do que uma 2ª paris hilton com menos classe e com uma voz mais irritante.

Rodolfo De Carli disse...

http://www.boicoteacicarelli.com
;]