08 maio 2007

os achões

li no Diário da Lulu um texto interessante sobre as pessoas que se acham — como ela pontua, aquele tipo de pessoa que se acha “a última bolachinha do pacote” ou “o i do Mississipi”.

todos conhecem alguém que se acha. evidentemente, isso exclui a autocrítica, pois é pressuposto que alguém que se acha é incapaz de perceber isso. então, se você percebe que passou dos limites, lamento, mas você não se acha e não é o i do Mississipi. eu conheço um bando de achões.

o cara que dá a melhor aula. ninguém dá uma aula como ele, ninguém entende tão bem o coração dos alunos, ninguém é capaz de perceber com tanta sensibilidade os seus talentos. se você deu uma aula legal, ele deu uma aula mais legal. se os alunos gostam de você, os alunos dele gostam mais dele. se os teus alunos te odeiam porque você foi rigoroso, os alunos dele o odeiam mais ainda.

o melhor pesquisador. o cara que conhece a melhor bibliografia. se você leu um livro, ele leu um livro melhor do que aquele, de preferência em inglês ou alemão. se você leu uma tradução, ele leu o original em francês. se você faz uma crítica a um texto, ele faz a uma crítica à sua crítica. se ele fala antes de você numa banca ou numa reunião e você aborda, depois, um ponto importante que ele esqueceu, ele retoma a palavra para reafirmar algo que você deixou passar. porque ele é melhor do que você.

o cara que entende de vinhos. ele não pede apenas aquele vinho específico, mas a safra de 2002. ele não se contenta em provar o vinho diante do garçom. ele precisa fazer uma cena. ele analisa o rótulo, dá aquela reboladinha no copo, sente o bouquet, dá um golinho, fica sorvendo e então diz “está bom”. e, quando você bebe, o vinho é ácido como o cão do demo, mas quem entende de vinho é o cara que se acha, então fique quieta, garota. e sorria, mesmo que sua língua fique roxa.

o cara que te liga às 11 da noite e começa a conversa dizendo “e aí, tá sentindo muito a minha falta?”. é o mesmo cara que, mal você entra no MSN, já chega assustando com frases como “sonhou comigo hoje?” ou “tô carente, não quer cuidar de mim?”. é, ele se acha.

a mulher que não caminha, mas desfila. ela não entra, mas invade. aquela que tem certeza que todos os homens do bar rastejariam se ela fizesse um gestinho. sim, alguns rastejariam mesmo. mas outros não, embora isso ela nem perceba. afinal, ela se acha.

o cara que cozinha. ah, o cara que cozinha. ele tem 14 tipos de azeite e 18 tipos de vinagre. e usa todos. ele tem pazinhas e potinhos específicos e dezenas de temperos. e usa tudo na mesma caçarola para mostrar para você que ele é o bom. não te deixa tocar em nada e, enquanto ele se diverte fazendo aquela coisa que você não está conseguindo identificar o que é, ele vai explicando didaticamente a origem dos alimentos, quem inventou o pão, quem criou a massa e que rei mandou enforcar qual cozinheiro apenas porque errou o ponto da clara em neve. você dorme, mas ele não percebe. o som da voz dele é música para os ouvidos. dele.

o fanático religioso. aquele que te explica por que você precisa acreditar no que ele acredita. porque na verdade não é uma crença, entende, é a verdade que ele está generosamente compartilhando com você naquele momento sublime. eu gosto mesmo quando este cara que se acha me diz: “você ainda não está pronta para isto, um dia você vai se dar conta do que eu digo”. geralmente é a hora em que eu pego a chave do carro. se eu não ainda não estou pronta, baby, melhor economizar o seu tempo e o meu.

o defensor da língua portuguesa. aquele que vive corrigindo tudo que todo mundo diz, em qualquer lugar, como se isso fosse exercício de civilidade. aquele que pode entrar aqui e dizer que cometi um grave erro de concordância e paralelismo ao usar “tu” e “você” indistintamente. antes de dizer “oi”, já aponta o dedinho erudito e puxa a gramática. é, ele se leva a sério. bom, alguém tem que levar.

o conselheiro. aquele que radiografa suas olheiras e já receita leite com canela para uma noite melhor. aquele que olha seu prato e fala sobre as vitaminas que você está deixando de ingerir. é o cara que diz que o celular vai fritar seu cérebro, que a coca-cola vai derreter seus ossos, que você precisa pegar mais sol, que você não pode ler na cama com aquela luzinha, que você não devia lavar o cabelo todos os dias, que você não pode beber água gelada no inverno. ops, acho que estou falando da minha mãe. é, minha mãe se acha “a” sábia. mas ela pode, porque ela é o máximo. pelo menos eu acho. piu piu.

p.s.: antes que alguém diga que eu “me acho”, já adianto: eu sou totalmente perdida. vivo fazendo um caminhozinho de migalhas pra poder voltar pra casa. raramente funciona.

23 comentários:

Penkala disse...

o que EU ACHO mais legal é que, em geral, os sujeitos que MAIS SE ACHAM, são os que menos coisas tem pra achar. ah, o charme dum carinha modesto que ri dos próprios defeitos.

pior, Pinta, que eu acho que sou dessas que se acha. ou pelo menos era. até me dar conta de que eu sou boa de mais pra essas frescurites.


hohoho

ederson disse...

Mas você se esqueceu de elencar "o cinéfilo". Ele não apenas viu aquele filme que você achou legal, ele viu também todos os filmes daquele diretor e também dos outros quatro que o influenciaram (um chinês, outro neo-zelandês, um húngaro e outro botsuano). Ele sabe os nomes originais dos filmes e os pronuncia com a língua entre os dentes. Ele sabe quem escreveu a trilha sonora de cada um dos filmes do Ridley Scott e lê a revista Set todo o mês – sempre mostrando indignação com o que falam sobre as produções asiáticas, mas adorando a matéria de capa com o Homem Aranha. Ele sonha, ou já sonhou um dia, em ter um roteiro seu encenado por Julia Roberts ou Meryl Streep. E – muito pior do que tudo – ele “sabe” o que o diretor quis dizer com seu filme, porque só ele entende o que está por trás.

Adriana disse...

Pinta, ótima definiçao dos que se acham...realmente e um saco aquele que se acha sempre...mas de vez em quando pode se achar ne? (risos)
beijinhos carinhosos do outro lado do oceano

lulu disse...

Marcia,
seus tipos estão perfeitos!!
:-)
adorei.

Lu.

marcia disse...

penkala, eu não acho que vc se ache. vc acha que eu acho que vc se acha? um prêmio para quem achar o nexo disto. :P

Ederson, o porre é quando eles acham que só eles sabem e que só o que eles gostam é que é bom. estes se acham. de resto, eu adoro os espíritos cheios de opinião.

Adriana, de vez em quando pode. eu acho. :)

marcia disse...

Lulu, vc achou? :D

Rosamaria disse...

huáhuáhuá

vi neste teu texto, maravilhoso como sempre, umas conhecidas minhas...

tu és o máximo, pinta! amei!

Sean Hagen disse...

*



eu diria que há dois lados essa questão:

- o ruim é quando essas pessoas grudam em ti e não soltam mais. mesmo vc chutado a pleura delas, elas não entendem, porque se acham.

- o bom é que todo idiota é prato cheio pra ser zoado. e quer coisa melhor do zoar um idiota?



*

Daniela disse...

É isso mesmo, os tipos estão ótimos. Desses, o que eu mais odeio é o cara que entende de vinhos. Que chatoooooo!

Graziana disse...

adorei
também nunca me acho, vc foi testemunha né :)

texto maravilhoso, ri muito :)

Anônimo disse...

Um bom texto salva o dia:teu texto está "tudo de bom", e meu dia mais leve.Adorei.
bjs
Vera Martis

La Carmencita disse...

"Acho" que você não gosta mais de mim.

Um grande beijinho!

Chawca disse...

Eu convivo com uma pessoa assim. Tem "aquela velha opinião forma sobre tudo" e sobre todos....
Mas o melhor a fazer é largar de mão, o tempo mostra a esse tipo de criatura o quão idiota elas são...
E assim pelo menos temos de quem falar mau com razão....

clarice disse...

E aquela mãe que se acha???Tem umas que sabem tudo, que fazem tudo, são perfeitas mães,perfeitas donas de casa e ainda são incrivelmente felizes!!!

raquel disse...

Eu ia dizer que eu me achava, mas já roubaram minha piada. :P

Bj :)

Penkala disse...

Pintinha, eu acho que estou tonta. acho melhor a gente parar, porque daqui a pouco alguém vomita.

Raquel: pessoas que se acham sempre roubam a piada das outras. mas que barbaridade um troço desses. tudo um bandiputo.

Sean: pleura. adorei. o próximo mala que eu encontrar eu vou tentar chutar a pleura. deve ser massa.

(bah, invadi os comentários, que animal grosso!)

Vini disse...

no meu tempo isso era BALACA!!! to muito velho? ninguém conhece um "balaqueiro"?

Leonardo disse...

Neném, a grande questão é que de Mississipi bom mesmo é o "s"! If you know what I mean... ;)

Sean Hagen disse...

*



Vini, balaqueiro é gíria de gaúcho do bonfa.
que mico, hein, carioca ancião?




*

Lu disse...

hahahahaha. Muito bom.
Acho que às vezes "me acho" como a melhor mãe do mundo!!!!
Coitada deu!!!!! Ainda bem que este puxão de orelha é virtual!!!!!hehehehehe

Eu não sei, você sabe? disse...

dona boa pinta, ótimo texto, mesmo!
Desses da gente se esbanjar de tanto deixar orelhas alheias vermelhas, pobres orelhas...rsrs

é por isso, também, que eu não sei, você sabe?rsrs

Penkala disse...

meu deeeeeeeeus, na mesma semana que tu escreve sobre OS QUE SE ACHAM eu tenho que aturar o pior tipo de ACHADOR da face da terra. todas as manhãs. no meio dum monte de iniciados, o sujeito faz questão de mostrar o quanto ele sabe e, o que é pior, acha que constrangendo o professor FODALHÃO-DA-SORBONNE-QUE-VEIO-DAR-UM-CURSO-AQUI ele conquista o estrelato.

puta, que eu tou faz uma semana com vontade de gritar com esse puto achador.

Luci Lacey disse...

Marcia

Adotei um macaquinho no Hippos, porque ainda nao tem um Hipinho, mas ja pedi a eles.

Mas tem um pintinho lindo, de um olhada.

http://bunnyherolabs.com/adopt/customize.php?mc=chick.swf


Beijinhos e bom final de semana