23 julho 2007

top-top-top

depois de uns dias afastada da Internet, comento a reação do assessor para assuntos internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia (e de seu assessor, Bruno Gaspar), diante da notícia de que o avião da TAM tinha um problema no reversor. vale relembrar a cena: na quinta-feira da semana passada, Marco Aurélio e Bruno estavam no terceiro andar do Palácio do Planalto, assistindo à matéria do Jornal Nacional que apurava problema na turbina direita do Airbus. ao saber disso, Marco Aurélio fez o famoso top-top-top, e Bruno trouxe os cotovelos em direção aos quadris. a cortina estava aberta, e um cinegrafista os filmou.

existem aí uma série de equívocos. em termos de comunicação, Lula não é um presidente: Lula é um paquiderme. é evidente que Lula tinha que ter falado na própria terça-feira. na verdade, ele tinha que ter ido a São Paulo e acompanhado de perto os acontecimentos. isto está no manualzinho de qualquer político: em grande tragédias, o chefe da nação está lá, para compartilhar o sentimento das pessoas e ajudar a estabelecer alguma ordem. em vez disso, ele ficou se escondendo, como um guri de fralda suja. só foi falar na sexta-feira, dando margem a 72 horas de críticas, fundadas e infundadas, a seu governo. péssima estratégia de comunicação.

Lula está cercado de incompetentes. está rodeado de pessoas que não sabem se portar publicamente. Marco Aurélio Garcia, um intelectual, não sabe o que é o Palácio do Planalto? ou confundiu o Planalto com o quintalzinho de sua casa? as explicações ridículas que deu sobre a cena mostram uma inegável contradição. Marco Aurélio disse que as imagens foram “tomadas de forma clandestina, à revelia”, no que está absolutamente certo, pois não foram autorizadas por ele. imediatamente, porém, emendou: “de qualquer maneira os jornalistas estão no direito de tomá-las”, revelando ter consciência de que tudo que ocorre dentro de um prédio público é, sim, público. ainda mais se o objeto da cena não toma o cuidado de fechar a cortina, certo? (falando nisso, Rogério Christofoletti fez uma ótima análise do caso em seu blog.)

o pior, no entanto, foi o que disse depois. afirmou que aquelas imagens refletiam concretamente a sua “indignação frente a uma determinada versão que se quis passar à opinião pública”, ou seja, a de que o governo seria o único culpado pelo acidente, ao liberar a pista de Congonhas sem as tais ranhuras – o grooving. “é uma reação privada que qualquer pessoa de bom senso teria; eu nunca teria esta reação em público”, disse.

Marco Aurélio, por favor, fale por si mesmo. “bom senso” não é o seu forte. “qualquer pessoa” também não é algo que você domine, pois a redoma do poder já turvou o seu senso de realidade. além disso, se você consegue ter uma ética na vida privada e uma ética na vida pública, isto revela muito sobre quem você é, mas não revela nada sobre mim ou sobre qualquer outra pessoa. então, mais respeito quando fala sobre mim ou sobre os outros. não utilize “bom senso” como recurso de argumentação, quando você mesmo não sabe o que isso significa. e vá ofender a sua mãe.

continuo defendendo que este caso é extremamente complexo e não aceito que simplesmente culpem o governo. para mim fica cada vez mais evidente que somos reféns de companhias aéreas irresponsáveis e que há problemas técnicos envolvidos nesta tragédia. no entanto, está mais do que na hora de Lula se tornar um chefe de Estado. nem que, para isso, tenha que trocar todos os seus assessores. talvez bom senso seja um bom critério de escolha. e ética, claro.

11 comentários:

rogerio christofoletti disse...

Adorei o trecho do "guri de fralda suja". Tenho um desses em casa, e o presidente-paquiderme agiu como o meu pequeno.
Eu quis ir às vias de fato, mas vamos lá: Marco Aurelio Garcia é um intelectual sim, mas um arrogante, acastelado, empedernido nas suas certezas, cego para tudo. Vc tem razão novamente quando diz que a situação é muito mais complexa. É tão complexa que eu não consigo entender como uma quantidade tão colossal de bolo fecal produzido pelo governo nessa crise (e em outras, lembra do Mensalão, dos sanguessugas, de Celso Daniel???) não entupiu os canos palacianos e trouxe lama ao pescoço de Luiz Inácio...

Arnaldo disse...

O governo Lula peca ao não conseguir distinguir o que é fazer política e o que é administração pública. Ambos são muito importantes, e os integrantes desse governo são muito competentes no primeiro item. No segundo, entretanto, são absolutamente amadores e, por isso, incorporaram o modelo do PSDB, pois perceberam que não sabem fazer a coisa.

Sobre o Marco Aurélio, concordo com o Rogério. Ele é um poço de arrogância. Sempre foi.

E, como diz um amigo, bom senso é a coisa mais democrática que existe. Todo mundo acha que tem.

luís felipe disse...

por todos os defeitos que Marco Aurélio Garcia possa ter, não consigo achar aceitável uma câmera filmando o seu gabinete em busca de alguma reação do gênero, bem como essas imagens repercutindo na mídia da forma que aconteceu.

o prédio pode ser público sim. O que não impede as pessoas de ter reações privadas. Na real, achei ridícula e injustificável a veiculação das imagens, pois não contribui em absolutamente nada. Mas concordo que isso só ocorreu graças à omissão do governo de tomar uma postura oficial através do seu chefe.

clarice disse...

Amei o teu post!!!!!!!!!!!!Era tudo que eu queria ler a respeito!!!!!!
Bjos

Maroto disse...

protesto em nome dos guris de fralda suja: muitos deles têm suficiente pragmatismo para entrar no meio de qualquer conversa e apontar a própria bunda dizendo, estejam onde estiverem, "cocô". Considero de alta dignidade que o façam e preferiria que o Lula também pedisse penico, digo, ajuda, quando precisa. Ser presidente não é saber tudo, fazer tudo, estar no comando de cada botão a ser apertado no pais, mas saber delegar poder e responsabilidade.
É claro que é preciso pedir ajuda a quem é competente e saber a quem delegar poder e responsabilidade, senão é top-top-top pra ele e pra todos nós.

Maroto disse...

ah, sim, mas concordo contigo que não é pra culpar só o governo. Há problemas pra todo lado e um deles é a tendência simplista de procurar 'o culpado', que só leva mesmo é à indicação de um bode expiatório enquanto o problema de verdade continua a ser empurrado com a barriga

TARCIO VIU ASSIM disse...

Como a gente diz nesta terra sertaneja, "a senhora matou a pau, Dona pinta.
-
Daria uma excelente acessora para nosso presidente, mas imagino que a senhorita nunca aceitaria colocar suas penas e seu biquinho sábio nesse poleiro sujo.
-
Abraço nordestino.

marcia disse...

Luis Felipe, acho que o Christofoletti analisou bem isso no blog dele, sobre o direito de imagem. de fato, as imagens feriram o direito de imagem e foram tomadas, sim, à revelia. não trouxeram nenhuma informação revelante sobre o caso, a não ser sobre os bastidores políticos, ajudando a reforçar a idéia de um governo insensível e despreparado.

na seqüência, a matéria do Jornal da Globo ouviu o senador Pedro Simon, que classificou a cena como "dantesca" e "uma bofetada no povo brasileiro": é o jornalismo construindo um cenário, indo buscar uma fonte sedenta para tirar uma casquinha para posar de vestal da moralidade. a matéria tinha uma tese e buscou a fonte que reforçava sua tese - novamente, o jornalismo como construção da realidade.

ainda assim, homens públicos não podem ser ingênuos e não podem se deixar flagrar em atitudes comprometedoras, porque eles "são" o governo. se Lula tivesse falado na própria terça-feira, dando o tom de seriedade que todos esperavam do governo, nada disso teria acontecido.

carmen abreu disse...

Está faltando muita coisa no governo Lula, mas uma das principais é competência para enfrentar crises com seriedade, bom senso e respeito. Ótimo texto Marcia. Bjs

sylvia moretzsohn disse...

Concordo em que este caso é complexo e que houve um exagero nada ingênuo na tentativa de se atribuir as causas do acidente exclusivamente às condições da pista, embora sejam notáveis as sucessivas derrapagens nos dias anteriores. Mas devo devo discordar da conclusão.
É certo que somos reféns de companhias aéreas irresponsáveis. Mas de quem é a obrigação de fiscalizá-las?
Soubemos formalmente ontem, dia 24, que os (irresponsáveis) empresários do setor pressionaram para que a pista fosse entregue antes do início da alta temporada, ou seja, antes do início de julho. Foi o que aconteceu. Quem cedeu às pressões?
Irresponsabilidade que põe em jogo a vida das pessoas não é só irresponsabilidade, é algo bem mais grave.
Quanto ao final, entendo a ironia, mas acho que podemos perder as esperanças. Os assessores, com sua estúpida arrogância, são a cara do paquiderme. Por isso estão lá.
E nós, aqui... ó.

Alessandro Minuscoli disse...

A apuração do que ocorreu e dos culpados é uma coisa. E talvez revele que, realmente, as companhias aéreas têm mais culpa do que se possa imaginar. Mas tudo é hipótese...
Agora, o comportamento do governo e do seu presidente, desde que toda a crise aérea veio a tona, mas especialmente na tragédia de Congonhas, é injustificável. Possíveis ações desastradas até poderiam ocorrer, mas a inanição governamental dá a cada uma delas a dimensão do descaso, da insensibilidade e do deboche. O incrível é que Garcia permanece no cargo, deu explicações arrogantes e ninguém o desautorizou. Deduz-se que o governo pensa como ele.