02 agosto 2007

um lento quebra-cabeças

Fernando Rodrigues é um dos jornalistas mais bem informados do país. além de ter excelentes fontes, Fernando tem uma admirável capacidade de analisar fatos complexos. ele não se contenta com uma primeira explicação. está sempre em busca de um contexto mais amplo, pois sabe como o mundo funciona e como as peças se encaixam. está na área de política há muitos anos, e eu o conheci quando ele era repórter especial da Folha.

no caso do acidente da TAM, desde o início busquei informações em seu blog. sabia que ele teria acesso a fontes quentes e que iria trazer dados pouco a pouco, como este caso pedia. sei que um caso assim requer muito tempo de investigação e que as respostas não são simples nem rápidas, como clama a emoção das pessoas. é preciso um pouco de frieza e de racionalidade para de fato compreender, se é que se quer realmente compreender.

ficava claro, desde que a Infraero liberou as imagens do pouso do avião, dois dias depois do acidente, que havia um problema naquela aterrissagem. se a pista tinha falhas, e se uma pista perfeita teria dado espaço e tempo para corrigir o erro técnico ou humano que ocorreu antes da pista, isto ainda está por ser provado. a responsabilidade do governo no que diz respeito aos problemas da pista, se houve relação entre uma coisa e outra, é ainda uma terceira questão a ser provada. a primeira questão, que a transcrição dos diálogos da caixa-preta revela e que as imagens da Infraero já mostravam, é que o avião teve problemas.

o que fica por compreender agora, antes de avançar nas responsabilidades, é o que a TAM tem a ver com isso. a revista Veja desta semana culpa o piloto. na semana passada, bem no estilo Veja de ser, a revista publicou uma informação, não confirmada pela Gol e negada pela família, de que o piloto teria sido demitido pela Gol por ter sido reprovado num teste simulador de vôo anos antes. ora, é como se me julgassem hoje, por uma aula que dou hoje, por eu ter sido reprovada, anos atrás, em algum concurso para professor em alguma outra universidade. o que isso poderia dizer sobre a minha capacidade, hoje, de dar aulas?

nesta semana, Veja decide que houve falha humana. certamente a revista teve acesso aos dados da caixa-preta, que indicam erro no posicionamento do manete direito no momento do pouso. daí a concluir que a falha foi do piloto, porém, vai uma grande diferença, que só percebe quem não faz “jornalismo de tese” – como o faz a Veja, que tem sempre uma tese pronta e sai à rua apenas para comprovar sua preciosa idéia, geralmente uma idéia comprometida com os interesses de alguém.

em seu blog, Fernando explica o que eu penso desde o início: o piloto pode ter sido enganado por uma informação dada pelo próprio avião. se o reversor tinha problemas e estava desativado, o computador pode ter lido errado as informações. para ficar mais claro, leiam o post no blog dele. aos poucos, a coisa fica mais complexa. e, ao mesmo tempo, mais clara. mas não é rápido, não. e o culpado, puxa, não é bem o Lula.

8 comentários:

ederson disse...

mas é bem melhor pensar q foi o Lula, porque dá mais segurança aos passageiros, afinal o Lula não pilota nem tem aviões. Imaginar que a responsável foi a TAM ou o piloto ou a Airbus é se sentir comletamente inseguro na próxima viagem.

por isso eu vou de táxi.

Arnaldo disse...

Pois é, Márcia. E parece que, agora que ficou claro que a culpa das dores do mundo não é do Lula, a grande imprensa ficou órfã. Tão órfã quanto a oposição. O problema é que é esperado que a oposição aja assim. Que eles tentem extrair qualquer lucro político de qualquer fato. Hoje mesmo, ouvi no rádio um deputado oposicionista reclamando que alguns deputados governistas teriam "comemorado" o resultado da audição da caixa de voz do avião. É desespero de causa, mas é típico da política.

O que incomoda é a atuação da grande imprensa. Derrotada a tase da culpa de Lula, apressaram-se em culpar os pilotos. É escandalosa a preocupação em não atingir a TAM, em não responsabilizá-la.

Graziana disse...

é realmente escandolosa a preocupação da mídia em não atingir a TAM. Apontaram o Lula como culpado do acidente e nem sequer falaram da TAM.
depois de ler vários textos sobre o acidente, fica claro que quem tinha problemas era o avião da TAM, é muito mais fácil querer culpar o piloto ou o governo...

Sean Hagen disse...

*



até a parcial e comprometida Zero Hora traz denúncia que os laudos de reparo naquele avião apontavam problemas.

frente a uma tragédia, todos querem explicaçãos rápidas pra tentar ententender, mesmo que de forma capenga, o que está acontecendo. a imprensa não poderia se render a isso, não poderia se render a pressão dos anunciantes, de facções da políticas, de segmentos de leitores.

mas acontece. e cá estamos nós, que pedimos calma e paciência quando o governo e o lula foram imolados - e nós também por pedir lucidez -, vendo a verdade surgir aos pouquinhos.




*

Vivien disse...

Essa "tática" da Veja...de "constatar" hipóteses a partir de uma bola de cristal própria são risíveis...e são perigosas.
beijos, belo post.

Maitê disse...

Acho que tudo conspirou. Se a Anac não tivesse um pouquinho de culpa, Marcia,a cho que não iam colocar Grooving tão rápido na pista. Bah, meu irmão desceu em Congonhas esses dias, meio apavorado, mas tudo bem. Você viu que esse avião apresentava problemas um dia antes no spoiler? O cara não conseguiu freiar direito um dia antes. Uma tragédia quase premeditada. Abs

Eu não sei, você sabe? disse...

Por esse e por outros que é sempre bom vir até o patifaria!

besitos para a pinta esperta!

tita

Carlinha disse...

pô, agora que eu ia ler o cara, ele tira um ano para folgar em Harvard... assim não dá... oh mundo cruel...