11 janeiro 2009

esquecer

o que você faz quando as lembranças invadem sua mente com tanta força, que mais parecem um trem descarrilado? e levam tudo pela frente, não importando se é pedra, se é água, se é gente?

Roland Barthes, em "Fragmentos de um discurso amoroso", diz que quem "não esquece de vez em quando morre por excesso, cansaço e tensão de memória". mas e se você quer esquecer para sempre? quando perguntarem "como foi que...?", você simplesmente poder dizer, sem mentir, "não lembro"? ou: "isto aconteceu comigo?".

6 comentários:

pen*ka*la disse...

malditas. sempre lá quando menos as queremos, sempre escapando quando mais precisamos delas. malditas.

Arnaldo disse...

Acho que não dá pra esquecermos nada, completamente. Às vezes esquecemos, mas não é por que queremos. Não temos domínio sobre as lembranças. Podemos tentar, eventualmente, controlar o poder que essas lembranças têm sobre a gente. No meu caso, dormir ajuda, pelo menos parcialmente, a diminuir a influência que as lembranças têm sobre mim. É aquele velho chavão: "Nada como um dia após o outro, com uma noite no meio".

Auci disse...

Eu concordo com o Arnaldo: "nada como um dia após o outro com uma noite no meio". Afinal, só queremos espantar as lembranças ruins, né? E chega um ponto (que a gente não domina, muitas vezes) que a gente, ó, se depara com o esquecimento. Se não total, parcial... E mesmo lá, não incomodando tanto.

mimi disse...

quer esquecer pra sempre, pintinha? compra um quarto todo rosa. rá!

Rosamaria disse...

já é possível esquecer, pintinha. olha só:
http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=22660&op=all

bjim.

Anônimo disse...

Peloamordedeus! Acho que uma delas estava com um ataque de ansiedade e queria comer...