06 fevereiro 2009

tortura?

tem gente que não tem mais o que fazer. (inclusive eu, que deveria estar escrevendo um artigo para um congresso, mas fico galinhando na internet. à noite o fantasmus academicus vai puxar meus pés. certeza.)

o Ministério Público do Rio recebeu denúncias de que teria havido tortura no chinfrim "quarto branco" do Big Bosta. ééééé, aquele quartinho merreca em que três caras tinham que ficar por dois dias, mas um deles não suportou. ééééé. tor-tu-ra.

não é grotesco apenas porque desloca pessoas ocupadas, que exercem funções importantes, para tratar de uma bobagem. é grotesco especialmente pela banalização do termo tortura. no meu tempo, tortura era outra coisa. não incluía brownie e ar condicionado. não acenava com a promessa de um milhãozinho no final. e o torturado não se submetia voluntariamente.

vergonha, sabe? vergonha alheia.

12 comentários:

Adriana Amaral disse...

credo, banalização do termo... que horror... VA mesmo

Tattiana disse...

pois é, Pinta. Li esta matéria hoje e pensei a mesma coisa. onde li diziam que cinco pessoas tinham denunciado. Ah, vá !
PS: o tal fastamus vai puxar meu pé, tb. Agora, pense positivo: já pensou se tivéssemos de fazer um paper juntas ? ia ser uma tragédia (rs).

Blog do Beagle disse...

Pense bem: ficar num lugar sem noção de tempo ... sem resguardar os olhos ... mesmo que tenha concordado com isso, é estafante. Nem com meu peso em ouro eu irira. Elza

Anana disse...

se isso é tortura na concepção de alguém, imagina viver num campo de concentração ou mesmo em meio a uma guerra como a que ocorre diariamente no oriente médio...

Arnaldo disse...

Márcia,

Não me leve a mal. Você sabe que eu gosto de você, mas tenho que te fazer uma crítica.

É que eu acho um enorme desperdício de talento, você ficar escrevendo sobre o BBB. Na verdade, a única atitude que esse tipo de programa desperta é o desprezo. Qualquer coisa diferente disso, é, na minha opinião, encher a bola de quem patrocina essa excrescência.

Rafael Velasquez disse...

Particularmente acho esse programa uma merd*. Já deu o que tinha para dar. A primeira edição era novidade, bacana. Agora, está insuportável. Nem faço questão de assistir, mas sempre tem notas no jornal sobre o programa e minha irmã adora acompanhar. O Pedro Bial é um palhaço escrevendo declamando frases para os competidores. Sinto vergonha por esse papel ridículo.
Bem, espero que esse caso de “tortura” termine de uma vez por toda com o programa. Lógico que a tortura que o fulaninho recebeu deve ser muito fichinha perto das torturas da ditadura. Aquilo que era tortura. Pensando bem... esse programa também é um tortura! rs

Donna Oliveira disse...

ô, gente, nesses momentos dá aquela vergonha de ser brasileiro, vá!

Aline de Campos disse...

Primeiro, esse tal "fantasmus academicus" me assombra toda noite, só não sabia o nome dele, obrigada pela informação :p
Depois, na minha opinião o BBB todo já é uma vergonha alheia, essa banalização de um assunto tão sério só reforça essa tentativa ridícula de proporcionar voyerismo barato que tentam fazer todos os anos, mas tem audiência, néam...

cristiano dalcin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cristiano dalcin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cristiano dalcin disse...

Gente

Não entendo porque as pessoas que não gostam do programa perdem tempo falando mal dele. O melhor a se fazer é ignorar, dizer que não sabe o que é, que não conhece o Max e a Fran e mudar de assunto.

Todo ano é a mesma coisa: um bando de gente falando bem e outro bando falando mal do Big Brother. Não muda!

Para quem assiste, BBB é que nem futebol. Por que o jornalismo dedica páginas e páginas a discutir a troca de um jogador, a lesão de outro, o oportunismo de um terceiro e não pode discutir um "jogo" televisivo?

Por que a Márcia não pode falar do programa se milhões de brasileiros assistem?

Por que o futebol seria mais culto do que o BBB? O que se aprende no Gauchão e na Copa do Mundo? O que se leva para a vida da gente? NADA. Absolutamente como no BBB.

Os dois são circos que rendem montanhas de dinheiro para quem organiza. Mas nos divertem.

Taxar isto ou aquilo de inferior é preconceito. Cada um deve e precisa de um pouco de bobagem por dia para levar a vida numa boa. Seja acompanhando o futebol, seja vendo o programa na TV. Ou falando mal dos dois.

Sobre o tópico levantado pela Márcia, claro que é uma grande bobagem a justiça perder tempo com o quarto branco. Até porque, ninguém estava preso lá dentro. Para sair, era só apertar em um botão. E desistir do milhão.

pen*ka*la disse...

tadinhos.

muita pena.

porque privação de estímulo é tortura, néam? mas não nesse contexto. nem perigando ganharem prêmios.

tomar no cu, viu? vergonha alheia, com certeza.