06 abril 2009

vastas emoções

o melhor título, pra mim, sempre será vastas emoções e pensamentos imperfeitos, livro do Rubem Fonseca. resume o que somos. eu, você, qualquer um. às vezes você acha que está raciocinando direito. mas não está, porque seu corpo está tomado de emoções fortes demais. de repente você até sabe que não está sendo "razoável", mas simplesmente não há um botão de desligar.

não me refiro apenas à expressão de certas emoções. chorar, gritar, rir sem controle. me refiro aos sentimentos mesmo. aqueles que você pode até, com muito sangue frio, impedir que arrasem a vizinhança. mas que continuam lá, imensos. vastos. arrasando alguma coisa, normalmente você mesmo.

eu sou do tipo que acha que a racionalidade nos salva do submundo da humilhação. acredito no exercício da memória. juntar pecinhas do quebra-cabeças da convivência. uma frase aqui, uma reação ali. um abrir-se aqui, um fechar-se completamente ali. uma verdade exposta aqui, uma fuga evidente ali. é este exercício de observação que vai colocando as pessoas em certos lugares - e, no final, diz que lugar a gente tem na vida das pessoas.

a maldição é que entender isso não impede que as vastas emoções continuem lá. são verdadeiras, residem no interior. estão cravadas lá, entalhadas como se você fosse um tronco de madeira. você pára. respira fundo. pensa. escolhe o melhor caminho, o menos humilhante. e segue por ele. se é assim, então é assim. você limpa a área, desvia o foco, preenche seu tempo, busca alternativas. a maldição final é que nada, nada mesmo, garante que você vá ter um pinguinho de êxito. ah, Rubem Fonseca. gênio da concisão da alma humana. da minha alma, aqui e agora.

4 comentários:

João Paulo Rabelo disse...

Parabéns pelo dia do Jornalista!

um abraço
João

Aline de Campos disse...

Lindo texto.

Já pensei em fazer como o Tim Maia e tentar atingir a Imunização Racional, o estado de equilíbrio perfeito em razão e emoção. Mas tenho medo de enlouquecer (mais ainda) :P

Não é fácil não.

Caco disse...

Putz. É assim mesmo que acontece. Falou tudo - e bem.
bj
CACO

Sean Hagen disse...

*



somos cosntruídos com verdades transitórias e emoções profundas. o que ontem era dor, hoje é esquecimento. onde havia alegria, agora há circunspecção. essa transitoriedade da vida é que nos possibilita andar pra frente, não ficar parado.

há tempo para nascer, maturar e se instaurar. é preciso apenas ter paciência com o processo.




*