13 março 2010

pensamentos imperfeitos


do maravilhoso Caio Fernando Abreu (Lição para pentear pensamentos matinais):

Pensamentos, como cabelos, também acordam despenteados. Naquela faixa-zumbi que vai em slow motion desde sair da cama, abrir janelas, avaliar o tempo e calçar chinelos até o primeiro jato da torneira - feito fios fora do lugar emaranham-se, encrespam-se, tomam direções inesperadas. Com água, mão, pente, você disciplina cabelos. E pensamentos? Que nem são exatamente pensamentos, mas memórias, farrapos de sonho, um rosto, premonições, fantasias, um nome.

7 comentários:

Demétrio de Azeredo Soster disse...

estranho isso: sentir saudades de um tempo que não volta mais.

Adriana Amaral disse...

coincidência, tava lendo caio ontem de noite antes de dormir, maravilhoso!

Nina disse...

Putz, Marcia,

Eu piro em Caio Fernando Abreu. PIRO!

Tudo tão lindo, tão verdadeiro e tão triste, como ele. Mas que seja doce, sempre.

Conhece esse link?

http://semamorsoaloucura.blogspot.com/


Beijo!

Sean Hagen disse...

*




mióóóóóóóóóóóóóólos.




*

Maria Rita disse...

Sabe que eu ainda não li nada dele, a não ser por aí, citado por outras pessoas.
Shame on me, I know!
Mas ainda lerei...

Rosamaria disse...

amei, pinta!
meus pensamentos, às vezes, acordam mais despenteados do que os meus cabelos.
vou procurar ler sobre o Caio Fernando Abreu.
bjim.

Caco disse...

Sempre bom nos lembrarmos de Caio.
Gostei do trecho.
bjs
CACO